Change to English

Notícias

2º Encontro Redes Incubadoras dos Açores 26 Dezembro de 2019

2º Encontro Redes Incubadoras dos Açores

É muito importante ter espaços de concertação e de valorização do sistema empreendedor dos Açores.

Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores já com 170 empresas incubadas

A Vice-Presidência do Governo dos Açores, através da SDEA - Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, promoveu a realização, em Ponta Delgada, do 2.º Encontro de Incubadoras que integram a Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores.

O Vice-Presidente do Governo, Sérgio Ávila, salientou que, "durante este encontro, foi dado aos responsáveis pelas incubadoras de empresas dos Açores a oportunidade de participar numa ação de capacitação no âmbito das práticas de gestão de incubadoras, modelos de negócio sustentáveis e 'mentoring'”.

Este 2.º encontro, para além daquela ação de capacitação, ministrada pelos Territórios Criativos, teve ainda como objetivo "o estreitar de relações, bem como a partilha de conhecimentos e de experiências por parte das incubadoras, em função das diversas realidades com que se confrontam no propósito comum de fomento do empreendedorismo nos Açores”, acrescentou Sérgio Ávila.

A Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores, gerida pela SDEA, conta atualmente com nove incubadoras de empresas, designadamente a Praia Links, a Go On, a Startup Angra, a Azores CraftLab, a ONE Solmar Business Centre, a unOffice, a CEmpA, a INCUBAÇOR e a TERINOV.

No total, são disponibilizados 50 gabinetes para acolhimento de empresas, 16 salas de reuniões e 53 espaços de co-work, encontrando-se atualmente instaladas nestas incubadoras mais de 170 empresas.

Sérgio Ávila referiu que a Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores “visa intensificar a estratégia de fomento do empreendedorismo, através de um ambiente favorável à criação de emprego, à inovação empresarial, com um apoio e acompanhamento próximo às empresas, na sua fase nascente, e, deste modo, contribuir para a renovação do tecido empresarial e para o reforço da sua competitividade”.